O Começo:

Em 1960, o Sr. José Maria Santana, mais conhecido como Zé Santana, começou a produzir cachaça em um pequeno engenho movido à roda d’água. O seu produto era vendido e entregue nos mercados da região no lombo de burros pelos tropeiros.
A fama da cachaça correu a região e aumentou a demanda, fazendo com que o pequeno engenho fosse trocado por um maior, movido a vapor. Em 1965, é registrada a marca Guaraciaba e a tropa de burros foi trocada por um caminhão. Em poucos anos, a marca já era uma das preferidas na capital.

Atualmente:

Hoje a Guaraciaba é administrada pelo sucessor de Zé Santana e emprega 62 funcionários fixos e 40 pessoas em média durante a safra. A produção começa em junho e termina em outubro, produzindo em média de 400.000 a 600.000 litros de cachaça por ano.

A colheita é feita no período de maio a novembro, época em que o teor de açúcar da cana é mais acentuado proporcionando uma melhor qualidade e aproveitamento do caldo extraído. As moendas separam o caldo do bagaço, que será usado para aquecer as fornalhas do alambique. O caldo é decantado e filtrado para, em seguida, ser levado às dornas de fermentação. A fermentação dura de 24 a 36 horas e após esse período o caldo fermentado é destilado em alambiques de cobre resultando no produto final que é a “cachaça”. Essa cachaça é armazenada em barris de madeira por um período mínimo de 1 a 5 anos, para que possa ser engarrafada e comercializada. Isto permitiu à empresa dar sequência e aprimorar o que era feito, além de manter estoques longamente envelhecidos.

A empresa tem investido em cursos e melhoria de estrutura produtiva afim de produzir uma cachaça de qualidade gerando emprego e renda para a região, já que essas eram as metas de seu fundador.