A cachaça artesanal está se popularizando entre os amantes de bebidas destiladas. Por isso, seu processo de fabricação tem se tornado cada vez mais complexo, com o objetivo de entregar um produto de alta qualidade, tanto em sabor, quanto de textura.

Todos os tipos de cachaça passam por alguma forma de armazenamento. No entanto, quando tratamos do tipo envelhecida, premium e extra premium, o envelhecimento em tonéis de madeira é essencial.

Neste artigo, você descobrirá como é feito o armazenamento da cachaça, qual a influência do envelhecimento na sua qualidade e quais os principais tipos de madeira utilizados. Confira!

Como é feito o armazenamento da cachaça?

Dependendo do tipo da cachaça, ela passa por diferentes formas de armazenamento. Confira algumas particularidades:

  • Industrial: destilada em colunas
  • Envelhecida: deve conter no mínimo 50% de aguardente e armazenada em tonel de madeira ou inox por pelo pelo menos 1 ano;
  • Premium: integralmente composta por cachaça e deve ser armazenada em madeira por pelo menos 1 ano;
  • Extra Premium: integralmente composta por cachaça e deve ser armazenada por pelo menos 3 anos.

Qual a influência do envelhecimento na sua qualidade?

O envelhecimento da cachaça em barris de madeira é fundamental para que a bebida obtenha características sensoriais superiores. Elas são adquiridas a partir de reações químicas que ocorrem entre a madeira e o líquido.

Durante o período em que passa pelo armazenamento, o álcool presente na aguardente extrai compostos da madeira que lhe conferem cor, cheiro e texturas característicos. Além disso, o oxigênio que circula pelos poros da madeira permitem que sejam formados substâncias capazes de modificar a bebida, deixando-a ainda mais saborosa e especial.

Tipos de madeira para envelhecimento

Enquanto outros destilados, como uísque, são armazenados em carvalho americano, a cachaça brasileira tem uma grande vantagem: pode ser envelhecida em diferentes tipos de madeira e, com isso, absorve características únicas. Além disso, a possibilidade de criar tonéis a partir de várias madeiras diferentes, torna a bebida ainda mais especial. Afinal, reúne elementos de todas as árvores utilizadas na construção do barril.

Conheça os principais tipos de madeira utilizados no Brasil para o envelhecimento da cachaça:

Amburana

A amburana também é conhecida como árvore cerejeira. É mais comum nas regiões nordeste, centro-oeste e sudeste do Brasil. A sua principal influência na cachaça são sabores e colorações intensos, menor acidez e teor alcoólico.

Jequitibá

O jequitibá rosa é mais encontrado no sul e no nordeste do país e tem como principal característica, diminuir a acidez da cachaça, deixando-a suave. No entanto, têm pouca influência na cor.

Bálsamo

Também conhecida como cabreúva é responsável por conferir uma coloração amarelo-esverdeado e sabores amadeirados muito intensos e únicos.

Carvalho

O Carvalho é ideal para diminuir a sua acidez, proporcionando sabor e cor bem característicos. Além disso, o aroma frutado lembra um pouco o da baunilha, quando a cachaça é envelhecida nesse tipo de barril. Outra particularidade, nesse caso, é a cor amarelada que o líquido adquire ao longo do processo.

A Cachaça Guaraciaba é armazenada em tonéis inox e de madeira de jequitibá, carvalho e bálsamo e a Cachaça Guaraciaba Premium é armazenada em madeira de amburana. Por isso, seu sabor, aroma e textura são inconfundíveis.

 

 

Gostou de conhecer mais sobre as madeiras para envelhecimento? Deixe seu comentário!